domingo, setembro 16

E a novela, hein?

Eu não tenho nenhum palpite sobre quem matou a Taís, na novela Paraíso Tropical. Mas eu queria que o Antenor (Tony Ramos) tivesse um final feliz, ao lado da Lúcia (Glória Pires). De modo geral eu não tenho muita paciência em seguir novelas. Há muita enrolação. Então, o que acontece é que em determinado momento, geralmente depois da metade da história, algum capítulo me prende e eu começo a assitir. E aí vou até o fim.

Ficam umas lacunas que eu vou preenchendo aos poucos. Eu não peguei a fase bad boy do Tony Ramos. Quando vi, ele já estava casado com a Glória Pires. O que também ajuda é ler as sinopses publicadas nos jornais. O problema é que eu demoro a aprender os nomes de todos os personagens, então, nem sempre sei de quem estão falando. As sinopses deveriam ter também os nomes dos atores.

Pra complicar, Paraíso Tropical tem alguns personagens com nomes dos atores. Existe a Camilla personagem - e a Camila Pitanga; o Gustavo personagem - e o Gustavo ator (que faz o papel de Mateus); o Daniel personagem - e o Daniel Dantas (que faz o papel do cozinheiro). Deve ter mais, mas eu não sei. Fico me perguntando se o autor fez de propósito só pra confundir quem começa a ver novela no final...

Então, eu também não peguei a fase em que a Beth Goulart exercitava suas maldades, e agora eu fico torcendo pra ela voltar com o Daniel Dantas. Eu sei que ela está pagando pelos pecados que cometeu na época em que eu ainda não acompanhava. Mas como eu não vi, eu torço pra ela se dar bem, porque parece que ela já se arrependeu, né?

No feriado de 7 de setembro, estávamos nós lá em Piraju e descobri que meu sobrinho de 19 anos não gosta da revista Veja. Ficamos nós a falar mal da Veja (isso é bem fácil, né?). No dia seguinte, com a casa cheia, eu queria ver novela em silêncio. Algo meio impossível. E aí meu sobrinho disse que não acreditava que eu seguia novela. E disse que estava decepcionado comigo.

Para ele, não há diferença entre ler Veja e ver novela. Eu argumentei que, pelo menos, a novela é declaradamente ficcional, o que não é o caso da Veja, que na minha opinião faz o pior tipo de jornalismo no País. Aí ele disse que o conteúdo é o mesmo. Tanto a novela quanto a Veja passam a mesma mensagem para os seus públicos.

Concordo que a TV Globo e a Editora Abril querem deixar as coisas exatamente como estão no País; e ambas têm grande parte da responsabilidade de sermos um povo que vai bem mal das pernas em termos de educação. Mas em termos de produto, acho que não dá pra comparar uma novela, que é um gênero literário, e uma revista jornalística, que em tese deveria ter compromisso com a apuração rigorosa dos fatos e que não deveria publicar opinião como se fosse mera informação. Qualquer veículo tem todo o direito de emitir a opinião que quiser sobre qualquer assunto, desde que isso esteja devidamente esclarecido para o leitor.

O pior vai ser quando meu sobrinho descobrir que tenho um cd de Belíssima, comprado numa liquidação por causa de duas ou três músicas...

3 comentários:

sha disse...

Também não gosto da veja e assisto a novelinha das 8. Mas a novelinha das 8 é só pra distrair, e a veja deveria informar...ou não!! Talvez devêssemos ler a veja como distração tb!!
Ahhhh, mas no meu caso além da novela tem o zezé di camargo, né...
Que toca no coração...rs
Beijoss

carina paccola disse...

Ah, Sha, o Zezé di Camargo não dá, hein? Esse não toca mesmo no meu coração...
Viu, você não tem que me mandar um email contando algumas novidades???
Beijos,
sua tia mais querida

Cristiana Soares disse...

Hahahaha!

Cada vez melhor esse blog... hehehe...