domingo, dezembro 10

Dois fimes e um comercial

Assisti esta semana ao filme Os Infiltrados, de Scorsese. Como eu não gosto de filmes com gente que mata e morre o tempo todo, confesso que fiquei surpresa. O filme é ótimo, mesmo que em algumas cenas de violência eu tenha fechado meus olhos. É infinitamente melhor do que Gangues de Nova York, do mesmo Scorsese, e do qual eu não gostei.


Em Os Infiltrados, você vê polícia e bandidos usando os mesmos métodos nojentos pra chegar onde se quer chegar. Como na vida real. E se dá conta de que as instituições, de modo geral, sempre consideram suas causas melhores que as dos outros para justificar suas ações. Vale tudo quando se está do lado certo. O final é inesperado.


Jack Nicholson, quase setentão, continua lindo e charmoso, além obviamente de ser ótimo ator. E Leonardo diCaprio está muito bem. Esse menino me surpreendeu já em Prenda-me se for capaz. Conseguiu se dissociar da imagem de bom moço, com cara de anjo (argh!), que arrancou suspiros e gritinhos das mocinhas em Titanic.


Também conferi Crash – No Limite, que ganhou Oscar de melhor filme em 2006. Perdi no cinema, mas vi em DVD. Adorei. Sem ser piegas, mostra o quanto a intolerância está impregnada nas vidas de todos nós, brancos, negros, árabes. E o quanto nos afastamos de nossa humanidade por conta dos medos que temos do que nos é estranho, embora esse estranho seja um igual. São várias histórias contadas de tal forma que é difícil prever o desenrolar de cada uma.


Para concluir, a propaganda da Schincariol que mostra uma mulher que vai consultar um guru para saber como agir diante da traição do marido (aquela do colarinho sujo de batom) é uma das mais idiotas que já vi nos últimos tempos. Fico cá pensando que um publicitário tem que ser muito idiota para “bolar” uma propaganda como aquela. É um atentado à inteligência e ao bom senso de qualquer pessoa. Talvez seja pra combinar com a cerveja Schincariol, que também é um atentado ao bom gosto. Ainda bem que no cinema não tem propaganda no meio dos filmes...

5 comentários:

erika pelegrino disse...

Carina, sabe que me dei conta de que o Leonardo Di Caprio tem vários papéis nos quais ele está muito bem. Isto em filmes anteriores à Titanic.

Não me lembro os nomes destes filmes agora, mas têm dois nos quais a atuação do rapaz me chamou a atenção: em um deles ele é um adolecesnte com problemas com o padrasto, Robert De Niro;

em outro ele faz um garoto com problemas mentais, que realmente surpreende...

Acho que o papel de bom moço de Titanic foi um deslize na carreira do rapaz...



beijos

Gus No Sant disse...

Cheguei até seu blog por links de links de blogs de pessoas de Lda.

Quero dizer que sobre Os Infiltrados tem uma frase do filme Donie Brasco que traça bem o quanto a polícia e os bandidos, em filmes, são iguais. Quando o oficial do FBI diz que ele tem que tirar o bigode, a resposta é que a máfia disse o mesmo e pelo mesmo motivo: É contra as regras.

carina paccola disse...

Érika, talvez seja isso mesmo. Talvez o deslize tenha sido Titanic. Um deslize perdoável diante de suas outras atuações. Que bom! Beijos



Gus No Sant,
obrigada pela sua visita. Eu fui conferir seu blog e gostei bastante. Eu não me lembro de ter assistido Donie Brasco, e essa passagem que vc cita é mto boa.

Cristiana Soares disse...

Ainda bem mesmo... pior do que a do marido é a do "Zé Ruela"... PQP!

Carina, ainda não vi os filmes, mas depois do que vc escreveu, verei-los-eis!

célia musilli disse...

hehehe..ainda bem que no cinema não tem Schincariol...rs. um beijão