terça-feira, setembro 2

A letra B


Fonte: http://brasil.indymedia.org/images/2005/02/307685.jpg


Tem dias que é melhor ficar com o crachá pendurado no pescoço para não ter dúvidas sobre quem eu sou.

* * * * * *

Do meu filho, após ouvir que a tevê ia interromper a programação para entrar o Horário Eleitoral Gratuito:
- Ah, gratuito!! Era só o que faltava: a gente ter que pagar para assistir horário eleitoral...

* * * * * *
A letra B

Faz pelo menos cinco meses que a letra b do meu teclado não funciona.

Assim que ligo meu computador, trato logo de entrar no www.gmail.com e buscar qualquer e-mail de amigos. O bom é que sempre me mandam beijos. Vou atrás desse beijo para dar um Control C na letra b. E então posso começar a escrever. Quando preciso de um b maiúsculo, eu escrevo brasil para que o corretor transforme o b em B. Pronto. Tenho o B.

Logo que o teclado ficou manco de b, veio um rapaz da Sercomtel fazer um serviço para aumentar a velocidade da banda larga. Meu filho o atendeu. Por coincidência, o mouse andava às cegas. Foi difícil para o rapaz usar o mouse. Quando ele foi testar se o serviço estava funcionando, no momento de digitar o endereço da Sercomtel, o b falhou. Aí meu filho mostrou que era só fazer um Control C Control V. O rapaz perguntou: Você faz isso toda vez? E riu.

Agora meu filho tem computador novo. Eu continuo com o meu teclado manquitola.

Tenho este teclado há 11 anos. Do pacote que veio junto, já fiz dois up-grades, troquei monitor, impressora. Mouse, já perdi a conta de quantos foram. O único inteirinho era o teclado. Ergonômico. Robusto. Criei um certo apego.

Em toda loja que entro, não encontro nada parecido. Resolvi comprar um novo pela internet. O mesmo Correio que o trouxe, o levou de volta. Fiquei decepcionada quando abri o pacote. Os ícones nas teclas pareciam carimbos mal-feitos. Devolvi.

E faz mais de um mês comprei um bem baratinho – daqueles flexíveis. Pensei em ficar com ele enquanto não acho o teclado dos meus sonhos. Mas não tenho vontade de fazer a troca. O novo está lá empacotadinho (ele vem enrolado feito rocambole) e o meu, manquitolinha, continua aqui. Pelo menos todos os bês que mando têm origem em beijos...

7 comentários:

Eliane disse...

Um teclado sem “b”, como você consegue? Tá certo. Às vezes a gente se acostuma, realmente, com alguns problemas e acaba até afeiçoada a eles. Ou: a gente se acostuma e se afeiçoa apesar dos problemas. Bom, acho que se você teclar “ALT 66” ou “ALT 98” você também consegue “B” e “b”, respectivamente. Mas o Control C de “beijos” é mais bonito.

carina paccola disse...

Pois é. E olhe que já preparei até aula e fiz grandes textos sem o b (acabei de copiar do seu "bonito" este b...). O pior é que meu teclado está entrando em falência múltipla de órgãos porque aquele tecladinho ao lado - que permite o uso do Alt - também não funciona mais (rs). Então quando tenho que colocar o numeral "primeiro" eu tenho que fazer 1.o porque não dá mais para usar o Alt 166 ou 167 (1.a). Parece piada, né? bjs

instantes e momentos disse...

vim conhecer teu blog. Gostei daqui. Muito bom.
Tenha um belo final de semana.
Maurizio

Tiago BUckowsky disse...

Acho onito quando temos um
pro lema e tentamos resolvê-lo da pior maneira possível. Realmente, um teclado sem a letra deve ser uma osta. Então, compra um teclado novo.

o rigado.

carina paccola disse...

Tiago, EMA EMA EMA cada um com seus pobrema... E cada um resolve como quiser - e se quiser.

sergio balsanulfo disse...

Encostei um pelo mesmo problema e olha que sei bem os atalhos de teclado alt 66 e alt 98 são"b" e "B",más pelo amor de DEUS ficar sofrendo com isso ,TECLADO NOVO GAROTA DESAPEGAAAAAA.

carina paccola disse...

sérgio, este post é velho... Já troquei o teclado (rs).